1 evento ao vivo

Manias e ordens de Jorge Jesus deixam Flamengo em alerta

11 jul 2019
12h18
atualizado às 12h19
  • separator
  • comentários

O técnico Jorge Jesus começou há poucas semanas seu trabalho no Flamengo e só fez seu primeiro jogo oficial nessa quarta-feira (10), no empate com o Athletico-PR por 1 a 1, na Arena da Baixada, pela Copa do Brasil. Ele tem contrato de um ano com o clube carioca. Nesse curto período, seu jeito disciplinador e cheio de regras vem gerando alguns tímidos questionamentos internos, principalmente entre os jogadores.

O técnico Jorge Jesus, do Flamengo, em partida contra o Athletico Paranaense, válida pelas quartas de final da Copa do Brasil 2019, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
O técnico Jorge Jesus, do Flamengo, em partida contra o Athletico Paranaense, válida pelas quartas de final da Copa do Brasil 2019, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Foto: MARCELO ANDRADE/O FOTOGRÁFICO / Estadão Conteúdo

O Terra apurou que não caiu bem entre o grupo, por exemplo, a proibição imposta por Jesus de os jogadores darem um pulo na praia em dias de treinamentos, que normalmente ocorrem à tarde. Não custa lembrar que a maioria do elenco do Flamengo mora na Barra da Tijuca, bairro de uma das praias mais bonitas do Rio.

Outra situação, também determinada por Jorge Jesus, provocou algum desconforto no grupo. Ele exige que os jogadores, quando concentrados, só comecem a fazer suas refeições quando todos estiverem sentados à mesa.

Isso significa dizer que, ao fim dos treinos, se um ou outro jogador quiser dar uma esticada em campo para treinar cobranças de faltas, ou de escanteios, ou mesmo fazer um exercício qualquer, e todos os demais já estiverem no refeitório, nenhum deles poderá se servir enquanto a equipe toda não estiver junta.

Jesus também estaria limitando o uso dos celulares entre seus comandados durante o período de concentração.

Para quem tem na equipe jogadores consagrados e de ponta, como Diego, Arrascaeta, Diego Alves, Gabigol, só para citar alguns, talvez fosse mais prudente para o técnico português tentar uma estratégia mais branda para conquistar o grupo. Evitaria assim um desgaste desnecessário, que pode mais tarde lhe trazer problemas sérios de relacionamento.

Veja também:

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • comentários
publicidade